sexta-feira, 29 de abril de 2016

Um Projeto por Mês - Chá com requeijão

O tempo tá voando! Nem senti passar abril e já chegou a última sexta-feira do mês, dia de mostrarmos o que desentralhamos, ou qual ideia tiramos do fundo do baú e colocamos em prática.
No meu caso, fiz as duas coisas, pois finalmente pintei uma caixinha de chá de MDF, que esperava por uma maquiagem há anos! Há anos mesmo, pois ela veio comigo na mudança, que foi há quase dois anos, e já estava há mais de ano comigo, lá em Porto Alegre, só esperando eu criar vergonha na cara!
 Aqui está, a caixinha de chá com roupa nova!
Pior, que pintei ela no ano passado, mas não estava convencida de usar o papel que eu tinha para o decoupage, até que, semana passada encontrei as maçãzinhas que vi numa caixinha, no Pinterest!
Esta é a caixinha que copiei, quer dizer, em que me inspirei para pintar a minha. :)
Do Pinterest, claro! 
E a ideia que estava guardada há anos, numa gavetinha da minha cabeça, era a de fazer requeijão em casa, e o impulso de colocar em prática, foi o fato de estarmos comprando leite fornecido por uma vaquinha de um vizinho, que além de ser leite purinho, sem água oxigenada, nem qualquer outra mistura, o preço está muito em conta, pois pagamos R$ 2,00 o litro. 
Fui na internet procurar uma receita, olhei várias e escolhi esta daqui.
É só ferver dois litros de leite.
Adicionar vinagre para talhar o leite.
Passar a coalhada por uma peneira. 
Eu usei um pano e uma peneira e deixei escorrendo um bom tempo.
Até ficar assim.
Aí, é só colocar a coalhada no liquidificador com 2 colheres de manteiga e sal. Eu coloquei um pouco de queijo também, mas acho, que foi muito pouco.
E a receita dizia para usar dois copos de leite. Eu coloquei duas conchas pequenas, que dá menos de um copo, e ficou muito líquido! 
Como tem que deixar na geladeira de um dia para o outro, deu uma endurecida, mas ficou parecido com Käse Schmier, e não com requeijão, e mesmo assim, ficou molenga. 
De dois litros de leite, rendeu um pote de requeijão e um pote de schmier cheinhos! Como um pote de requeijão está custando mais de R$ 4,00, está valendo a pena fazer em casa. 
Não ficou bem como eu queria, pois ficou molenga demais, mas o gosto ficou muito bom! Da próxima vez, não vou colocar leite e vou colocar um pouco mais de queijo.
E o café da manhã com um pão de milho feito em casa e o requeijão caseiro que não deu bem certo, ficou tri gostoso!
O título da postagem ficou estranho, né?! Chá com requeijão... mas faz sentido, não faz?
Não sei por que, mas lembrei do chá do Chapeleiro Maluco agora...
E com esta maluquice toda, apresento a minha participação da vez no projeto da bruxa Márcia. Para saber como participar, é só dar uma voadinha lá na caverna dela para saber como. 
E para ver o que as demais participantes aprontaram, é só ficar de olho nos links que ireia atualizando no decorrer da semana. E um ótimo final de semana a todos!

- Bruxa com Cômoda Escaninho 

quinta-feira, 28 de abril de 2016

E o inverno chegou no outono!

 Tirei esta foto ontem de tarde, às 16h41, hora de lidar com a bicharada na rua. Tava muito frio e a nuvem encobriu o sol, deixando o clima apavorantemente frio!! Sério! Tava muito frio mesmo, porque além da frente fria que chegou no estado esta semana, tem muito vento, o que aumenta muito  a sensação de frio!
 Improvisei uma mesa no gatil, para que os gatos possam tomar banho de sol mais cedo, senão, o sol só chega neles depois das 10hs.
 Eles aprovaram!!
 De noite, Trumbico fica embaixo da mantinha dele e cada vez que levanta, sai arrastando a manta pela casa. É um sarrinho!
 De manhã cedo, já de barriguinhas cheias, procuram um lugar ao sol para se aquecerem. Na foto: Costelinha, Brisa e Feliska.
 Uns sentem mais frio que outros. A Branquinha, além de idosa e ter o pelo baixo, sempre foi muito friorenta! Adora dormir tapada, até nas noites de verão, mas daí, com um lençolzinho. Na foto, além de estar no sol, está com duas cobertinhas!!
Acho que ouvi ela resmungando, "quem é que gosta de inverno??? Que saco!!!" E a indireta foi pra euzinha, que detesta calor! 

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Balonismo em Torres

Neste ano, as condições climáticas não ajudaram muito o Festival de Balonismo de Torres. Para quem não fez feriadão e não passou os quatro dias do Festival na cidade, restou a sorte para pegar um turno bom, já que, nenhum dia foi bom por inteiro. Ou melhor, parece que o feriado de Tiradentes, na quinta-feira, cuja previsão era de um dia chuvoso, foi de sol e calor.
Leonardo, Tombinho e eu, tivemos sorte no dia escolhido para ver os balões. Combinamos de acordar cedinho para ver se o céu teria estrelas. A distância entre Maquiné e Torres é de, mais ou menos, 70 km e acontece muito das condições climáticas nestas duas cidades, estarem bem diferentes no mesmo dia, mesmo assim, resolvemos arriscar. Tinha estrelas e nuvens, saímos cedinho de casa, presenciamos um lindo nascer do sol na estrada, e chegando em Torres fomos direto para o Morro do Farol, que tem uma vista privilegiada da cidade e suas praias.
A mãe estava na praia desde quarta, mas não avisamos nada sobre nossa ida, pois só teríamos certeza depois de madrugar e olhar para o céu. Resolvemos mandar um bom dia com uma self nossa, para ela ver que estávamos na área! 
Demorou um pouco para aparecerem os primeiros balões e tinha muita gente no morro querendo a mesma coisa. 
Ainda no Morro do Farol, os primeiros balões a enfeitar o céu no comecinho do dia. Na parte de baixo da foto, dá para ver um pedacinho da lagoa do Violão, no centro de Torres.
Apesar da localização privilegiada do Morro do Farol, não conseguíamos ver muitos balões. Mandei zapzap pra mãe, que disse que eles estavam saindo do Passo de Torres, cidade vizinha de Torres, já no lado catarinense, e bem pertinho do apartamento da mãe e do pai.  
Resolvemos ir logo para lá.
 O apartamento da mãe tem uma vista privilegiada também!
 Leonardo tirou estas fotos quando estávamos indo embora e a mãe nos dando tchau lá de cima.
 Achei bem legal a sequência com o zoom!
Mostra bem porquê trocamos o Morro do Farol pelo apartamento, para ver os balões.
Foto do Leonardo
 Este é o rio Mampituba. De um lado é Torres - RS e do outro, Passo de Torres, Santa Catarina. Os balões estavam saindo do campo de golfe do Passo, na direção de Torres e do Parque do Balonismo.
Eles estavam em plena competição, a Prova da Chave. No Parque do Balonismo fica um guindaste com uma chave, não sei se, o vencedor tem que pegar a chave, ou vence, o que chegar mais perto da tal chave. Quem vencer, ganha um carro. Na foto acima aparece o guindaste, mas não vimos nenhuma chave e, pelo que vimos, nenhum balão pegou a dita.
Esta turma já tinha passado pelo Parque e, fora da competição, só resta embelezar o céu de Torres e deixar um monte de gente embasbacada com as imagens.
 Estes, subiram bem alto!
 Ouvindo as notícias hoje cedo, fiquei sabendo que três balões caíram no mar. Parece, que foi erro dos pilotos, que subiram além da altura permitida e acabaram sendo "fisgados" por uma corrente de ar que os jogou para o mar. Ninguém se machucou, tudo não passou de um susto.
 Realmente, eu e a mãe comentamos e nos impressionamos com a altura que eles alcançaram, mas não sabíamos que tem um limite de altura. Nos chamou atenção também, este balão que descia um tanto rápido. na minha ignorância, achei que eles estavam tirando o ar do balão propositadamente, para descer, mas não sei não, se este não foi um dos que caiu no mar.
 "Cai, cai balão! Cai, cai balão, aqui na minha mão!"

Tombinho não deu muita bola para os balões, mas adorou o passeio! 

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Feriado e aniversário

Amanhã é feriado de Tiradentes e vai completar seis anos que a Paçoca entrou em nossas vidas, seis anos que ela foi abandonada e adotada. Para saber como aconteceu isso, é só clicar aqui.
Um bom feriado a todos e feliz aniversário Paçoca!!

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Visita ilustre - A Gralha Azul

 Esta semana foi de chuva e mais chuva por aqui, mas não teve um dia, em que não recebi um presente da natureza! Um dia foi a Margarida Mexicana que floresceu, outro dia, um passarinho na janela, que postarei em breve, e ontem, recebi a visita desta belezura, uma gralha azul!
Primeira vez que vejo uma por aqui, aliás, primeira vez na vida que vejo uma gralha azul, ao vivo e tão azul assim, livre na natureza! 
Fui trocar a água do canil do Catatau quando ouvi um canto diferente. Procurei e vi algo em cima de uma palmeira. Vi que era uma ave diferente, mas não dava para ver do que se tratava.  Eu estava sem a máquina fotográfica, mas saquei o celular do bolso e resolvi filmar, pois estava muito longe para visualizar bem, mas algum entendido saberia identificar o bichinho pelo som. Saí do canil, bem devagarito, peguei a máquina dentro de casa, e procurei a ave, que trocou de árvores várias vezes. Só consegui esta foto acima, as duas são a mesma porém, a segunda está com recorte, aproximada.
Achei que ela estava fora do seu habitat, pois ela se alimenta de pinhão, ajudando a plantá-lo inclusive, pois costuma enterrar pinhões para comer mais tarde e eles acabam brotando. Mas no wikiAves diz que, " embora seja muito associada às florestas de araucárias, é muito mais comum em áreas de Mata Atlântica da planície litorânea." Moramos no litoral, mas a poucos quilômetros do que ainda resta de Mata Atlântica.
A Gralha-azul é um dos símbolos do estado do Paraná, "segundo a Lei Estadual n. 7957 de 1984, que a consagra como "ave símbolo" deste estado." Fonte: WikiAves
Abaixo (tomara que apareça o vídeo!), a gravação que fiz, ainda de dentro do canil. É super curto, mas dá pra ouvi-la e vê-la rapidamente. Ah, no WikiAves também diz, que "é uma ave muito inteligente e a sua comunicação é bastante complexa, constando de, pelo menos, 14 termos vocais (gritos) bem distintos e significantes." 
Êta, natureza linda esta!!!
video