segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Cortando a grama do Recanto

 Ontem, domingo, foi aniversário do sogro. Leonardo de plantão, lá fomos eu e Tombinho representar a família no almoço de aniversário, na praia de Rondinha.
Seu Egon, o aniversariante de camiseta azul (ou seria cinza?), a cunhada Betina e o marido Ilmar e a sogra, dona Sonja, jogando conversa fora, comendo uns docinhos e tomando o bom e velho chimarrão pós-almoço.
Depois do chima, Tombinho e eu trocamos a praia de Rondinha por Torres, onde estavam meus pais. Lá teve mais conversa fiada e mais chimarrão, mas daí, o chima de fim de tarde. 
Ficamos lá até 18h45. Estava muito bom, não dava vontade de ir embora mas várias bocas me aguardavam ansiosos para que eu servisse o jantar deles então, Tombinho e eu pegamos a estrada já bem movimentada com o retorno dos veranistas para a capital.
 Hoje de manhã, depois de passar a sexta-feira e o sábado de molho com uma indisposição estomacal e muita dor de cabeça, acordei super bem disposta e fui cortar grama.
 Quis aproveitar para cortar uma área que fica protegida do sol nas primeiras horas da manhã. Pela previsão do tempo, o calor prometia ser arrasador hoje!
Tem uma figurinha que me acompanha o tempo todo! Se estou no gatil, lá tá ela na porta do gatil me esperando, se estou dentro de casa, ela está deitada na porta ou no banco da varanda e cortando grama, ela mantém uma distância mas tá ali, pertinho, cuidando tudo o que estou fazendo.
A Brisa! Como não admirar estas criaturinhas? A gente recolhe um bichinho desses e eles são eternamente gratos! A gratidão da Brisa está no olhar dela para a gente, é um olhar que fala o tempo todo "muito obrigada!Eu te amo!"
A gente também te ama, Brisa!
 Já outros, agradecem de outra forma... espalhando o lixo pelo pátio! Lá está uma das arteiras, Pituca. A irmã Lépi e a mãe Olívia foram comparsas neste crime mas não estavam ali na hora.
 Cansa, dá trabalho mas é bom ver a grama aparadinha.
Infelizmente, no verão esta visão de grama aparada dura pouquíssimo tempo. A grama cresce muito rápido e temos que cortar toda a semana. A área grande também não facilita, quando um lado está cortado, já tem que cortar o outro. 
 O resultado é este, mesmo usando roçadeira, a mão fica calejada.
 Mas por hoje é isto. Cortei grama das 9h15 até 11h15.
 É grama que não acaba mais!
Agora é hora de recolher o lixo, né Pituca?!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

O primeiro girassol do Recanto!

 Pode parecer estranho mas para mim, o começo do ano está tão corrido quanto o final. Do começo do ano até agora recebemos quatro grupos de visitas que se hospedaram por alguns dias no Recanto. Entre uma visita e outra, eu ficava namorando o meu girassol, semeado no final de novembro, se não me engano.
 Dia 13 de janeiro recebo o presente tão esperado, o girassol se abrindo!
 Parece que o Catatau também está gostando do girassol, que foi semeado junto a cerca do seu canil.
 As maravilhas estão lindas também. A foto foi tirada no final do dia quando elas começam a abrir.
 Maravilhas, Catatau e girassol.
Esta foi outra visita que recebemos esta semana, uma senhora perereca! Senhora pelo tamanho, não pela idade. Ela era quase do tamanho da minha mão, isso que tenho a mão bem grandinha! 
Achei uma graça o jeitinho dela, agarrada no meu cestinho de apetrechos de jardinagem.
 Agora é a vez do Dunga conferir o girassol. 
 Esta foto é do dia 17 de janeiro, agora a flor abriu por completo. Não sei quanto tempo dura a flor do girassol mas tomara que dure bastante tempo! Semeei duas variedades e as formigas comeram grande parte dos brotos. Tem algumas outras mudinhas sobreviventes crescendo e acho que são da outra variedade. Enquanto aguardo que as outras floresçam, vou paparicando esta daqui. Tem muita coisa que me deixa feliz mas este girassol...
Adoro a flor, a música e a banda: Girassóis, da Cidadão Quem.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Caranguejeiras do Recanto

 Sempre vimos bastante caranguejeiras pelo Recanto mas vindo de vez em quando, era uma coisa. Morando e convivendo com elas, é outra, bem mais tranquilo! Sim, bem mais tranquilo! Convivendo percebemos que apesar de peludos e assustadores, estes pobres bichos são super dóceis e não estão nem aí para a gente.
A maior caranguejeira que já vi na vida, foi em outubro, esta da foto aí de cima, em um dia que o Leonardo não estava e fui cortar a grama no canil do Catatau e da Minerva. De repente, a dona caranguejeira gigante passa caminhando bem do meu lado, provavelmente eu a tirei do conforto das sua toca com o barulho da roçadeira. Quando vi aquela coisa enorme do meu lado, dei um pulo e saí correndo para fora do canil.

video
Do lado de fora do canil, filmei, fotografei e fiquei preocupada com o Catatau e a Minerva lá dentro com ela mas só o Catatau viu a dona Caranguejeira subindo pela parede e ele ficou só olhando para ela, que nem tchum pra ele e seguiu seu caminho em busca de sossego.
 Já esta, que o Leonardo está fotografando, apareceu em novembro e não se incomodou com o assédio do paparazzi, que tirou fotos de vários ângulos e até posou ao lado dela. Só faltou pedir autógrafo.
 A minha, de outubro, era bem grande mas esbelta.
 A do Leonardo, de novembro, era menor mas devia fazer musculação, pois era bem "bombada", com pernas bem grossas. Linda!
 Ainda apareceram várias outras mas nenhuma tão grande ou tão bombada como estas duas, que seguiram seus caminhos e não foram mais vistas.
No verão elas saem das tocas e gostam de passear por aí, mas faz um tempinho que não vejo nenhuma.
E que continuemos convivendo em paz.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Caminhada matinal

 Estamos morando no Recanto desde setembro e não tinha dado nenhuma caminhada pela redondeza ainda. Dias desses, Leonardo de plantão, fui olhar umas mudinhas que havia plantado na cerca da frente e fotografar as rosas que abriram, e resolvi caminhar até a balsa, que fica há pouco mais de um quilômetro do Recanto, se isso.
  Da estrada podemos ver de um lado, o braço morto do rio Maquiné, o próprio rio Maquiné e uma pequena lagoa que tem pra lá do rio.
 Do outro lado, além de uma figueira maravilhosa e um pequeno grupo de simpáticos e assustados bovinos, podemos ver a Lagoa dos Quadros.
 Durante a caminhada reforcei a minha tese de que escolhemos um lugar maravilhoso para morar, um lugar de natureza abundante como muito temos neste Brasilzão. O que estraga os lugares são os humanos, sendo destruindo o ambiente natural, seja acabando com a paz que existe nele. Achei que morando no meio mato estaríamos livres dos fogos de artifício, mas me enganei feio! Sem contar os caçadores que insistem nesta prática cruel e proibida por lei.
 Eis a Lagoa dos Quadros.
 E lá no fundo, o rio Maquiné. A estradinha onde estou caminhando, de acesso ao Recanto, termina no rio onde tem uma balsa.
 Não fotografei na beira do rio porque tinha muita gente acampada e pescando lá. Só dei uma olhadinha, curti o ventinho que vinha da lagoa e dei meia-volta. Tem fotos da balsa nesta postagem aqui e aqui.
 Mais uma figueira maravilhosa e em volta, árvores cortadas e o mato queimado com mata-mato. Que tristeza!
 Lá no fundo, a curva do braço morto que vemos bem da nossa varanda.
 Nosso Recanto está atrás das árvores, depois da curva.
 Chegando devagarito na frente do Recanto para ver quem ficou me esperando ali em cima.
 Será que algum corajoso aguentou o calor?
 Sissi!
 Sissi e Trumbico!!!
O Costelinha também me esperou mas estava mais afastado da cerca, se protegendo na sombra.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Bolo e pizza

 Uma noite antes de ir para o plantão, perguntei ao Leonardo o que ele queria jantar e ele disse pizza! Retruquei que não tínhamos massa de pizza em casa e ele respondeu com a maior simplicidade, "é só fazer". Ah, tá! As últimas tentativas não forma muito bem sucedidas mas como eu já estava me programando para fazer um bolo para ele levar para o plantão, lá fui eu no meu caderno de receitas, o Google, procurar uma receita de massa simples, rápida e fácil e aproveitar o forno ligado para as duas preparações.
 Escolhi uma com pouca quantidade, a maioria vai 1 kg de farinha e eu só queria fazer uma pizza. Escolhi praticamente, a primeira que vi e não é que não ficou ruim? O título dizia "Massa de Pizza Perfeita", não classifico como PERFEITA mas ficou muito boa, vou anotar agora, no MEU caderno de receitas mesmo! Quem quiser conferir a receita da massa é só clicar no título ali em cima.
 Eu gosto de massa de pizza bem fininha e crocante e esta ficou um pouco grossa para o meu gosto, mas ficou bem boa!
 Para cobertura usei palmito e funghi, meio a meio. Na verdade, a porção de palmito ficou maior que a de funghi mas deixa assim!
 Já o bom e velho bolo que o Leonardo ama de paixão, é o Mármore com cobertura de açúcar.
 Fiz a mesma receita de sempre, só diminui um pouco para fazer nesta forma que era da minha vó e que adoro, além de ser menor que as outras.
 A cobertura de açúcar deixo para o Leonardo, já que ele gosta de caprichar. Ele já fez direto no pote que vai na viagem.
 Adoro fazer e comer bolo mas não sou chegada nesta cobertura de açúcar, até como mas não é a minha praia e o Leonardo carrega na cobertura, coloca várias e várias camadas de açúcar. 
Parece mais açúcar com bolo do que bolo com açúcar, mas que ficou bonito, ficou, né?!