domingo, 1 de março de 2015

Casei com um aventureiro

Tá, não casei. "Casei" é maneira de dizer, pois como diz meu pai, somos amancebados, mas "amancebada com um aventureiro" não seria um título muito bonito, né?!
Pois bem, Leonardo e eu nos conhecemos, adivinhem onde? Numa caminhada organizada por ele e alguns amigos, o "Caminhando Nova Petrópolis". Ele estudava Educação Física, claro, e as caminhadas aconteciam pelas estradinhas de chão desta encantadora cidade do interior onde ele cresceu.
Mas não começamos a namorar em seguida, muito pelo contrário, anos e anos mais tarde, nos reencontramos no Orkut onde fiquei sabendo que ele estava se preparando para mais uma aventura: dar a volta de bicicleta pela Lagoa dos Patos. Nossa! Fiquei fissurada! Eu adorava pedalar, apesar de pedalar apenas de casa para a faculdade, ou de casa para o trabalho, mas meu sonho era ir até a praia de Cidreira de bicicleta, feito realizado algumas vezes pelo meu pai, na juventude. De Porto Alegre até Cidreira deve dar uns 100 km, a volta na Lagoa dos Patos, a maior laguna do Brasil e a segunda maior de toda a América do Sul, tem 265 km de comprimento e 60 km de largura máxima (fonte: Wikipédia), e são vários municípios que fazem parte da sua costa. Imaginem quantos quilômetros não dá a volta por ela!
Acompanhei toda esta aventura trocando torpedos com ele, foram vários torpedos todos os dias e aí, começou a rolar um clima... 

Durante o namoro fui tomando conhecimento das várias outras aventuras realizadas por ele, sendo uma das principais, a ida ao Chile de bicicleta com o pai, em 2001.

Fotografei a foto do livro que o Leonardo escreveu sobre a pedalada ao Chile. Os tempos eram outros, as fotos ainda não eram digitalizadas e ele "publicou" um único livro, como um diário de bordo, colando algumas fotos em suas folhas. O Leonardo é o de toca vermelha.

Mas não tem só aventura de bicicleta, não.  Ele já caminhou do Chuí- RS até Torres-RS, todo o litoral do Rio Grande do Sul, e depois de Torres-RS até Florianópolis-SC, apenas com mochila e barraca nas costas, acampando na beira das praias, sem apoio algum. 
Foram várias caminhadas em grupo, ou solitárias principalmente na região da serra e litoral do Rio Grande do Sul. Muitas pedaladas por esta região também e muitas na companhia do pai, seu Egon. Adoro ouvir a história de uma das primeiras pedaladas que eles fizeram juntos, se não a primeira, nos Campos de Cima da Serra, uma região ainda deserta hoje, imagino na época que fizeram a pedalada! Leonardo pedalava alucinado a ponto de seu Egon perdê-lo de vista. Em meio ao cansaço, seu Egon passou a se preocupar onde estaria o filho, será que caiu em algum ponto da estrada, de repente caiu em algum barranco, sem que ele visse. E assim, cansado e preocupado seu Egon pedalou quilômetros e quilômetros, até que começou a resmungar: "quando encontrar o Leonardo eu vou matar este guri de merda!". Lá pelas tantas, no município de Tainhas, se não me engano, seu Egon encontra o Leonardo escorado na parede de um bar, ao lado da bicicleta, tomando um refri, todo risonho. E Leonardo pergunta ao pai " e aí, pai? Tudo tranquilo?" 
Seu Egon conta que ao ver o filho todo risonho e satisfeito com aquela aventura, toda raiva que o acompanhou por quilômetros desapareceu em segundos, e lá foi seu Egon tomar um refri com o filho.
Apesar das aventuras serem, na maioria caminhadas e pedaladas, e muito acampamento, a grande paixão do guri que não gostava de água na primeira infância,  é a vela! O sonho dele é morar num veleiro e passar a vida navegando pelos mares do mundo.
Quando ele me falou isso nos primeiros meses de namoro eu respondi sem titubear: "Deus me livre!". Não lembro se foi exatamente com este termo mas lembro que deixei bem claro que eu crio e finco raízes. Um dos meus sonhos é viajar pelo mundo mas indo e voltando, tendo sempre o meu pedacinho de terra para voltar e chamar de meu.  Não sei se ele ficou muito chocado com a minha escolha, só sei que estamos juntos até hoje e temos o nosso pedacinho de chão para chamar de nosso e para onde ele sempre volta depois das pequenas aventuras, o nosso Recanto. 
Sei que o sonho de velejar pelos oceanos ainda vive dentro dele, mas enquanto ele não dá um jeito de realizar este sonho, vai remando por onde der e com todo o meu apoio. 
O sonho de viajar (de carro ou bicicleta) ainda vive dentro de mim, mas enquanto eu tiver toda esta bicharada dependendo de mim, não poderei realizá-lo.
Neste momento, Leonardo está em Manaus, remando pelo rio Negro e fazendo fotos para um anúncio. Uniu o útil ao super agradável. Esta postagem foi programada para ser publicada no domingo, dia primeiro de março quando ele deve ficar horas em algum aeroporto esperando pelo vôo. Segunda-feira,  estarei indo a Porto Alegre para buscá-lo no aeroporto, eu e Tombinho, claro!
Leonardo não foi consultado sobre esta postagem mas ela nasceu na saudade que senti na ausência dele, pensando o quanto ele deve estar feliz com esta oportunidade, e o quanto ele gostaria que eu estivesse lá com ele. Eu sei e acredito muito neste sentimento dele. Mas não podemos prender o amor até porque, eu sei que ele vai voltar cantando a nossa música: "as andorinhas voltaram, e eu também voltei, pousar no velho ninho, que um dia aqui deixei"

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Um Projeto Por Mês - Mug Rugs

Era uma vez, uma Bruxa que vivia numa caverna encantada de onde saiam muitas Poções de Arte. Certo dia, dei de cara com esta caverna e resolvi entrar. O que vi lá dentro me encantou, tinha tudo o que gosto: amor pela natureza, respeito pelos animais e trabalhos manuais, entre outras coisas. 
Acabei deixando pegadas naquele lugar e a Bruxa que lá mora, veio conhecer o Recanto e deixou um convite para que eu participasse de um projeto idealizado por ela, o "Um Projeto Por Mês". 
O objetivo deste projeto é tirar da gaveta os trabalhos parados, ou tirar da pasta de fotos aquelas inspirações maravilhosas que sonhamos um dia fazer. Pois este dia chegou!
 Tenho vários trabalhos começados e nunca acabados, inúmeras fotos nas minhas pastas e no Pinterest, muitas, mas tantas revistas que me proibi de comprar mais enquanto não começar a fazer alguma coisa. Apesar dessas fontes, a minha primeira participação no projeto foi inspirada num presente que ganhei da minha cunhada, um mug rug com a caneca e tudo, e estampas de matrioskas.
 Peguei o que tinha de tecido em casa para não chorar demais se errasse muito. Sou novata na arte da costura e, apesar de ter feito um curso em 2013, onde fiz bolsas, necéssaire, jogo americano e outras coisas que nem eu acredito que foram feitas por mim, estava me pelando de medo de encarar a máquina de costura sozinha. Aliás, este medo daria uma bela animação!
 Amo motivos com galinhas, vaquinhas, cães, gatos, borboletas, corujas e quase todo reino animal e por sorte, tinha este tecido com estas penosas.
 Não tenho nenhuma caneca que combinasse com este mug rug, pois minhas canecas (faço coleção) são TODAS  de cães ou gatos por isso, tirei a galinha da prateleira da cozinha e usei para enfeitar a foto. Têm vários errinhos nos meus primeiros mug rugs, que preciso corrigir para os próximos.
Sim, próximos! Já arrisquei fazer outros e esta deverá ser a Páscoa dos mug rugs.
Estes foram feitos para presentear meu irmão e minha cunhada no aniversário dele. Sem tempo e imaginação para comprar algo para ele (pessoa difícil de presentear, sabe?!), resolvi unir o útil ao agradável e presenteá-lo com algo que os dois pudessem aproveitar. Minha cunhada toma bastante chá, imaginei que ela ia gostar de um mug rug e fazendo minha cunhada feliz é tiro certo para alegrar meu irmão apaixonado também. 
Assim como tiro certo foi ter entrado neste projeto da Bruxa! Estou tri empolgada, já pensando nos próximos!
Para participar, basta dar uma olhadinha nas regras aqui.
E abaixo, o link dos outros participantes, que será atualizado durante o dia.

- O marido da Bruxa com Da necessidade ao lazer
- Eliane com Bordado
- Mari com Quadro
- Alê com Flor de crochê
- Michelle com Mural de madeira 
- Márcia com Bolsinha porta-celular
-  Edi com Fritadeira
- Friends Forever com Almofadinhas de bichinhos 
- Lícia com Bolsa de mão
- Carina com Baú antigo
- Silvana com Mizpah
- Luciana com Bolsinha térmica
- Beth com Projeto London


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Boa viagem!

 Tombinho e eu fomos a Porto Alegre ontem para levar o pai até o aeroporto. Leonardo foi remar e fotografar no rio Negro em Manaus, oportunidade imperdível!
Boa viagem e bom trabalho! 
Cuidado com as piranhas e com as índias, principalmente as bonitas. Estamos te esperando aqui no nosso Recanto!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Como foi o carnaval no Recanto

 A única coisa que eu sabia sobre o carnaval é que eu não ia viajar e Leonardo ia remar longe, lá no Ibicuí, há mais de 400 km de Maquiné.
Fiz uns biscoitinhos para ele lembrar de mim e adoçar um pouco a remada. Mais uma vez, tentei modelar caiaques, mas fiz apenas dois, um duplo com a Maria Helena e o Trieste, amigos e companheiros de remadas que também iam participar da remada no Ibicuí, e tentei fazer o Leonardo mas a cabeça dele caiu no forno e o remador achatou de um jeito, que parecia Buda num caiaque. 
O importante é que o gosto ficou bom!
 E Leonardo também tem a preocupação de me ver bem na ausência dele e me deixou bem servida com duas caixas gigantes de sucrilhos... eu AMO  sucrilhos! Na caixa diz que rende 24 porções, o que é uma mentira deslavada! Não vou nem dizer quantas porções rende para mim, já que como ele como salgadinho ou pipoca, sem leite, na frente da TV... ai, que vergonha! E ai, que bom!
E Leonardo também me presenteou com uma nova máquina fotográfica, já que a minha morreu afogada. Estas são as primeiras fotos da moça. Obrigada Leonardo!
 Leonardo pegou a estrada no sábado de manhã e, mais ou menos uma hora depois dele sair, começou a chover e não era uma simples chuvinha, não!
 Foi tanta água que descia uma cachoeira por onde descem os carros aqui em casa. A chuva foi intensa no volume de água e na permanência. Sábado choveu quase o dia todo, só parou um pouquinho no final da tarde, mas em seguida voltou a chuviscar, e domingo e segunda ainda choveu pela manhã. Sol mesmo, só na terça-feira de carnaval.Pelo menos, foi chuva sem vento, todos os dias! 
No sábado fiquei sem luz quase todo o dia e sem muita opção do que fazer, tirei meu velho bordado do baú. Velho mesmo! Nem tenho coragem de dizer há quantos anos estou fazendo este bordado em ponto cruz. 
Imaginem o tempo que quiserem, dificilmente chegarão perto da triste realidade, mas este ano eu termino ele!  
 Não é só este trabalho que tenho pela metade, são vários! Não queria começar nada novo sem terminar a pilha dos abandonados mas estou numa fase de paixão por costura. Apesar de ter feito algumas coisas num curso, lá em 2013, fiquei todo o ano de 2014 sem ver a cara da máquina de costura e decidi mandar o medo embora e começar algumas coisinhas sozinha, errando e consertando se preciso for.
 Nada como um aniversário de última hora para incentivar o uso da máquina de costura. Mi mamazita ligou no final do sábado avisando que estaria na praia durante o Carnaval e que talvez, meu irmão passasse o aniversário dele lá, com eles, na segunda, e perguntou se eu não queria ir almoçar lá. Nada certo sobre o almoço mas resolvi fazer algo para dar de presente para ele. Meu irmão é daquelas pessoas difíceis de presentear, ao contrário de euzinha aqui! Normalmente faço um bolo especial, já que ele e a cunhada são intolerantes a lactose mas desta vez, decidi usá-los de cobaias nas minhas costuras e fiz um mug rug personalizado para cada. Seria um presente para os dois mas se eu não tinha certeza sobre o que dar a ele, a certeza de que ele ficaria feliz presenteando a esposa dele junto, eu tinha. 
 Bordei os nomes no sábado de noite e no domingo cortei e costurei, depois de brigar muito com a máquina, que não queria aceitar a bobina que eu tinha. Só que demorou até eu perceber que o problema era a bobina. Isso que dá ser pouca-prática!
 Com muitos errinhos, mas muito carinho, presenteei o mano Fafá e a cunhada Bele. Acho que no final, eles gostaram. Eu gostei por ter conseguido fazer sozinha, apesar das falhas, e ter aproveitado alguns tecidos que eu tinha em casa.
 Ah, teve o almoço de aniversário na praia. O dia em Torres foi nublado e a única foto que tirei foi do barco rebelde que resolveu sair da água e acabou encalhado na praia.
Parece que foi um fuzuê as tentativas frustradas de devolvê-lo ao mar.  10 X 0 para o barco!
 De volta ao Recanto, tive algumas visitas durante o feriado. O seu Girassol chegou dias antes e ainda está lá, lindo e grandão, maior que o primeiro, que já secou.
 A Gloriosa!!! Primeira Gloriosa do Recanto! Não sabia que a flor durava tão pouco, foram só alguns dias mas temos um outro botãozinho para abrir.
 E a primeira Hemerocális!!!  Plantamos várias em 2013, compradas em Jonville,  mas as formigas comeram tudo. Estes tempos, cortando a grama, percebi uma graminha diferente e avisei o Leonardo que desconfiava ser as Hemerocális brotando. Ficamos de olho no canteiro e finalmente floresceu! Mas a minha decepção foi a pouquíssima duração da flor,que só durou um dia! Esta da foto, é a segunda, a primeira tá ali do lado, toda murchinha. Não sei se é isso mesmo ou se a chuva acaba com a flor, só sei que nem deu tempo de fotografar a primeira flor, que era maior que a segunda.
 Minhas pobres gatinhas presas no gatil... Mariazinha e Merengue. 
 Infelizmente, não posso soltá-los. Isto tem me deixado bem chateada mas enquanto não doar a Olívia, nem pensar em soltar os gatos.
 E elas voltaram!
 Fazia muito tempo que as caranguejeiras não apareciam, deve ser algum ciclo, pois desde de dezembro que estava sumidas. Já vi outras mas Tombinho e eu gostamos de ficar olhando esta pela tela da porta.
 E para encerrar o dia e o carnaval, nada como uma grama para cortar.  Dá trabalho, mas fica bonito!
E assim acaba o primeiro carnaval no Recanto!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Como será o carnaval no Recanto.

video
Será assim no sábado, no domingo, na segunda...
Bom feriado a todos! Descansando ou pulando!