quarta-feira, 25 de março de 2015

Um Projeto por Mês no Recanto - Fevereiro - A estante da sala

Depois da minha primeira participação no projeto da Bruxa, no mês passado,estipulei um projeto por mês no Recanto também. Por sorte, Leonardo estava adiantado, pois tinha feito as prateleiras da cozinha em janeiro e a estante da sala em fevereiro. E já está com o projeto de março quase pronto, só falta pintar. Eu é que estou atrasada com as postagens, mas a culpa é da alemoa! :-)
É assim que os trabalhos acontecem por aqui. Entre o Leonardo e o sofá tem a Brigitte, nosso paninho de chão de estimação.
Ei-la! É, ou não é um paninho de chão encantador!
Leonardo tem muitos livros, mas muitos mesmo e a casinha do Recanto é muito pequena, por isso resolvemos aproveitar toda a parede atrás do sofá para fazer a estante.
Este é o fiscal da obra...
Ainda bem que tenho o meu personal marceneiro. Qualquer obrinha que precise na casa, eu chamo ele!
Ele até ajudou a pintar  a estante! (Acho que vou apanhar depois que alguém ler esta postagem. rere)
A ideia original era fazer prateleiras dos dois lados mas lembramos que neste cantinho da direita, deve ir a chaminé da salamandra.

 Um dia fomos a Nova Petropólis, na casa dos pais dele onde estavam os livros, e perguntei para o Leonardo se ele não queria aproveitar para levar ALGUNS  para o Recanto. Ele encheu o porta-malas do carro.
E encheu a estante nova da sala! Quase não sobrou espaço para os meus então, as prateleiras laterais que foram feitas depois, ficaram para mim.
 Pronto! Este foi o projeto do mês de fevereiro.
 Este é o meu cantinho.
 Agora meus smurfs têm um lugar para eles. Estes smurfs têm mais de 20 anos...
 Ainda não está 100%  arrumada mas meus livros e revistas favoritas já estão salvos da umidade do galpão.
Receitas também ganharam seu lugar. Queria colocá-los na cozinha mas não tem lugar nem para todas as louças lá.
Parabéns, seu Marceneiro! Eu adorei o resultado final!

segunda-feira, 23 de março de 2015

Voltando ao Farol de Santa Marta

Leonardo, Tombinho, Freya e seu caiaque.

 Os últimos dias foram de muita correria por aqui, pois ficamos envolvidos com a passagem da remadora  alemã Freya Hoffmeister pela costa de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. 
A pedido do amigo Fuchs, de São Paulo, que é o contato de Freya no Brasil, Leonardo passou informações a ela sobre a navegação pelas nossas lagoas e por isso, vinha trocando e-mails com ela desde quando remava pela costa do Rio de Janeiro.
Devido a chegada de um ciclone, Freya programou uma parada de três dias no Farol de Santa Marta, em Laguna - SC, e perguntou se Leonardo não gostaria de conhecê-la por lá. E lá fomos nós, Leonardo, Trumbico e eu, claro! 
Tombinho se sentindo em casa na casa dos outros...

Quando Leonardo perguntou se eu topava ir até o Farol, não titubiei em dizer que sim, pois além de adorar uma estrada e um passeio, tenho um carinho imenso por Laguna e o Farol, que muito frequentei na infância.
Normalmente, Freya acampa pelas praias, hospedando-se eventualmente, em casas de pessoas que  acompanham sua aventura. Foi o que aconteceu no Farol, onde ficou na casa de um casal que ela veio a conhecer na aportagem na praia e que a acolheu por 4 dias, já que o mar custou um pouco a acalmar. Uma dessas pessoas que acompanham Freya, de São Francisco do Sul, conhecia o casal e perguntou se eles poderiam receber a remadora.
Vista da varanda da "casa torta".

Fomos recebidos da mesma forma que o casal recebeu Freya, e nos demos muito bem, aliás. Como meu inglês está hiper enferrujado, conversava mais com o casal que é natural de Criciúma, em SC, cidade vizinha de Araranguá, terra natal de minha mãe. Foi uma visita bem legal! 
A casa onde Freya ficou no Farol, a casa torta, na Prainha, uma das várias praias do Farol. 

No meio da tarde nos despedimos para deixar Freya e os donos da casa descansarem e resolvemos seguir pela rua onde estávamos para ver se chegava em outra praia.
 A ruazinha acabava no alto de um morro que seu Jaime, o anfitrião de Freya, havia comentado que tinha uma bela vista e resolvemos conferir o Morro do Céu.
 A Prainha, vista do Morro do Céu.
 Do Morro do Céu temos uma vista de 360 graus das praias do Farol, da lagoa e de Laguna.
 Vista da Prainha, onde estávamos na casa torta.
 Do outro lado, acho que é a Praia da Cigana.
 
 Leonardo não sabia o que fotografar primeiro.
 E Tombinho parecia um cabrito escalando todas as pedras possíveis.

 "Eu adoro passear!"

 O Farol foi construído com óleo de baleia e está localizado no Cabo de Santa Marta, no município de Laguna, em Santa Catarina.

 "Que pedra fofinha!"
 De um lado eram pedras e do outro, muitos cômoros de areia e sambaquis.
 Quando acampava em Laguna com a família, lá pelos meus 8 - 12 anos, íamos seguido até o Farol, mas nunca havia subido no Morro.
 Tombinho e os sambaquis.

 Vista da praia do Cardoso.

 Lindo demais este Morro do Céu!!!


 Após o passeio maravilhoso pelo Morro do Céu, voltamos até a Prainha e Leonardo conferiu a temperatura da água.
Tirei muitas fotos e não percebi que a câmera estava num modo com efeito. Na verdade, quando fotografei a Freya e seu caiaque, achei que não havia focado bem, mas não reparei a diferença fotografando no Morro. O sol estava muito forte e sou muito distraída, para não dizer "anta"!
Leonardo foi quem percebeu a "antice" quando fotografou Tombinho e eu esperando por ele na Prainha. Aí, já era tarde, mas até que as fotos não ficaram tão ruins, né?! E esqueci de copiar as fotos que Leonardo bateu da gente no Morro, mas publico em uma outra postagem.
Bom, fica a dica para quem visitar Santa Catarina, venham até Laguna,atravessem a balsa e visitem o Farol. Vale à pena! Além de um belo passeio de um dia, fiz uma viagem no tempo, voltando à infância, mesmo com toda a invasão de casas no Farol. 
Eu e Tombinho, Tombinho e eu.

sábado, 21 de março de 2015

Gatinhos Fly

 Acho que quem me conhece um pouco sabe o quanto sou apaixonada por gatos, né?
 Pois não resisti e tive que fazer uma postagem só com os gatinhos que tinha na Windfly, onde foi realizado o curso de canoagem oceânica na semana passada, na Lagoa dos Barros, em Osório.
 Eram três bebês pretinhos, um amarelinho, um branquinho com cinza maiorzinho, uma tricolor jaguatirica que não deixa ninguém chegar perto e fica escondida no meio do mato e uma jovem branquinha de olhos azuis.
 Os bebezinhos eram os mais serelepes, óbvio! Circulavam mais pela área e se deixavam pegar facilmente. E eu peguei muito!!!
 Dava uma folguinha ia lá caçar algum e apertava e enchia de beijos. E eles bem quietinhos!
 Caiaque virou bebedouro.

 Que vontade de levar para casa...!

 E eles se prestavam a posar para as fotos.

 Coisa mais linda!!!
E o Luvinha Fly (este é o perfil dele no Face!) não judia dos gatos mas sempre se mete no meio dizendo "ei, eu tô aqui e também quero atenção!"